Páginas

19 setembro, 2015

leve-me a algum lugar bom

perguntei ao meu coração,
qualquer pergunta,
eu só queria uma resposta.
Nada disse.

por quais vias 
deve-se manter
aquele que desvia.

perguntei à filosofia,
onde existe sentido?
Disse: nada.

Nada já tenho,
e sentido não encontro.
Na vontade sem direção
perdi-me nas curvas da verdade.

agora reponho os cacos do abate,
relembro a tragédia tarde.
sigo meio vivo e moribundo
com o peso de dois mundos.

14 setembro, 2015

Notas de subsolo

que motivos tem os astros e as flores de serem belas?
se não pela verdade de beleza.
Vontade é, ainda, busca pelo supremo.
Supremo abismo erguido da aniquilação.
Quem conduz o fio deste abismo?
Se há causa pra esta casualidade, quem é a detetminação, o demiurgo deste tempo?

09 setembro, 2015

Nau-frágil

abismo. maldito.
minha própria vida 
de oca, agora ocupa
outra, a culpa.

habito, o hábito.
desabitado. maldito!
é se habituar à desculpa.
amarga cura. loucura.

ai ser eu, assim.
despreocupado, sem fim.
como sair de mim?

o deserto, atesta.
ateu, vida não é festa.
 
 
Copyright © Navios Naufragados
Blogger Theme by BloggerThemes Design by Diovo.com